Radiofrequência

Radiofrequência fraccionada combate flacidez e estrias

Na caminhada do rejuvenescimento cutâneo, e em particular do rejuvenescimento facial, múltiplos são os factores a ter em conta, desde os volumes faciais, a tez cutânea, as alterações vasculares, as rugas mas também, e sobretudo, a flacidez facial. Esta deve-se à degradação e perda progressiva das fibras de colagénio e de elastina que dão firmeza e elasticidade à pele, devido à acção da radiação solar diária que sobre ela incide.

A radiofrequência fraccionada não causa qualquer dano na pele.

Radiofrequência Fraccionada

 

Ao longo dos tempos têm sido desenvolvidas tecnologias que nos permitem estimular e “aquecer” a derme de forma a que as células que a constituem produzam novos elementos, fabriquem e depositem novas fibras bem estruturadas para promover um real rejuvenescimento da pele e o tão desejado regresso da firmeza e elasticidade cutâneas.

As técnicas existentes atá à actualidade implicavam que para se aquecer a derme, se tivesse que aquecer ainda mais a epiderme e se corresse o risco de lesão da mesma e ainda um risco elevado de hiperpigmentação pós-inflamatória.

 

Uma das técnicas mais eficazes para realizar este aquecimento cutâneo é, reconhecidamente, a aplicação de “radiofrequência”. Esta onda ao tentar progredir nos tecidos encontra resistência e é transformada em energia térmica. Para impedir que esta energia danifique a epiderme (camada mais superficial da pele) imaginou-se, então, um sistema de administração desta onda directamente na própria derme. Foi deste conceito que nasceu a actual “radiofrequência fraccionada por micro-agulhamento” (MN-RF).

 

Este é o método actual de eleição para conseguirmos estimular termicamente a derme sem correr risco de dano e/ou cicatriz à epiderme ou, ainda, o surgimento de uma hiperpigmentação pós- inflamatória.

Cicatrizes de acne podem ser amenizadas com este procedimento.

Esta radiofrequência fraccionada, embora implique algumas micro-picadas na pele, é indolor, se aplicado previamente um creme anestésico durante 30-45 min. na zona a tratar.

Com esta nova tecnologia revolucionária podemos tratar situações clinicas diversas que impliquem uma estimulação dérmica directa como o caso da flacidez, as cicatrizes atróficas, as cicatrizes de acne, o rejuvenescimento cutâneo, as estrias, etc. a qualquer nível corporal. Para tal podemos fazer variar vários parâmetros entre os quais a potência, o tempo do pulso e a profundidade que queremos tratar. Na maior parte dos casos são necessárias 2 passagens a profundidades diferentes para conseguirmos abranger e tratar toda a espessura da derme.

De salientar, ainda, a necessidade da realização de algumas sessões de radiofrequência fraccionada inicialmente (4-5 sessões mensais) seguidas de outras de manutenção mais espaçadas (cada 6-8 meses).

Contacte-nos e/ou marque uma consulta