Arquivo da Categoria: Peeling

Para saber mais sobre peeling, aconselhe-se com os nossos especialistas. Ligue já para +351 213 714 116 ou contacte-nos via Net, através do endereço de e-mail geral@derme.pt.

Revitalize a sua aparência com o peeling da clínica Derme

Muito se ouve falar do peeling facial quando o assunto são tratamentos estéticos. No entanto, muita gente não sabe verdadeiramente o que é um rejuvenescimento facial deste tipo e em que é que consiste, ficando, desse modo, sujeito ao opiniões erradas proferidas por quem nada entende sobre o assunto.

Se quer compreender como é realizado um tratamento estético facial como o peeling e quais as vantagens e benefícios desta intervenção para a sua pele, então o melhor mesmo é contactar a clínica Derme e expor as suas dúvidas. Esclareceremos todas a suas questões sobre o processo e, de seguida, marcaremos uma consulta nas nossas instalações para que possa ter acesso a uma avaliação dermatológica completa do seu caso e saber qual o tratamento mais adequado à sua situação.

Peeling: o que é e em que consiste?

peelingDe origem inglesa, o termo peeling, literalmente traduzido, refere-se a descamação da cútis na sequência de um procedimento de cariz local. Neste sentido, a expressão “dermabrasão química” parece ser a mais adequada para destacar o peeling de uma dermabrasão física convencional ou da laserabrasão.

Existem variadíssimos agentes que podem ser utilizados para proceder a um peeling facial, mas, claro, dependendo do caso e do objectivo pretendido, os intervenientes auxiliares do procedimento são diferentes. De um modo geral,o tipo de peeling mais usado é aquele que utiliza um grupo limitado de produtos.

Dependendo do tipo de situação a tratar, seja um envelhecimento cutâneo pouco acentuado, moderado ou mais profundo, de cicatrizes de acne que se encontrem ou não vincadas ou de manchas na pele muito ou pouco pigmentadas, o tipo de peeling mais adequado é escolhido, podendo ser intenso.

Que tipos de peeling existem

De um modo geral, há o peeling superficial, o médio e o profundo. O peeling superficial e médio executam-se em ambulatório.

Como as soluções utilizam alguns ácidos, predomina um certo calor intenso que vai reduzindo de forma progressiva, nomeadamente através da neutralização, ou tamponamento, com soluções específicas ou com água. De acordo com a profundidade pretendida, pode-se verificar um esbranquiçar da pele tratada, o chamado «freezing», que reflecte a coagulação das proteínas da cútis, com maior ou menor intensidade.

O peeling é um procedimento simples, mas delicado, que apenas deve ser realizado por profissionais qualificados, em espaços certificados que ofereçam todas as condições de segurança necessárias para um intervenção deste género. Ao confiar na Derme para tratar a sua pele estão não só a apostar no sucesso do seu tratamento, como está a assegurar que a sua saúde não fica comprometida.

Contacte-nos hoje mesmo através do número 213 714 116 ou envie um e-mail para geral@derme.pt e marque já a sua primeira consulta.

Resultados de um peeling

Os resultados de um peeling  estão dependentes da complexidade do problema que se pretende tratar, mas, de um modo bem geral,  são sempre muito positivos e animadores, visto que o peeling é pouco agressivo. Em alguns casos, é inevitável realizar várias sessões para alcançar os objectivos desejados; a manutenção semestral ou anual também pode ser necessária de acordo com o caso tratado e do peeling utilizado.

Não deixe a sua saúde nas mão de quem apenas quer o seu seu dinheiro e não sabe o que é melhor para a sua pele. Confie na Derme e assegure o sucesso do seu tratamento e a melhoria da sua saúde. Ligue já para o 213 714 116 e marque a sua consulta.

Se preferir, pode também fazê.lo via e-mail, enviando uma mensagem para geral@derme.pt.

Peeling é mais do que uma questão de beleza!

O peeling é frequentemente – e erradamente – associado apenas ao rejuvenescimento facial, numa forma particularmente agressiva, tal como utilizado por algumas figuras públicas. Na verdade, o termo peeling deriva da palavra inglesa e significa apenas “pelar” e encerra em si um conjunto de tratamentos de abordagens e resultados diferentes, com utilidade no tratamento de problemas dermatológicos diversos. Actualmente, existem muitas fórmulas para peeling caseiro, mas só uma instituição especializada pode encontrar o método de peeling mais adequado ao seu problema. O peeling pode efectivamente não só tratar rugas, como ascicatrizes de acne ou remover manchas da pele. Assim, nem todos os peelings são iguais, e só um médico dermatologista poderá escolher e aplicar o tipo de peeling mais adequado ao seu problema. Neste artigo pretendemos informá-lo mais adequadamente, mas lembre-se: nada substitui uma consulta com um dermatologista.

Que métodos de peeling existem?

Dependendo do objectivo do peeling, este pode ser efectuado de diversos modos. Actualmente, podemos distinguir vários peelings mas sobretudo são usadas 4 ou 5 substâncias:

  • Os ácido retinoico, o tricloroacético, o salicílio ou o fenol, tendo eficácia comprovada em variadas condições como na acne, no fotoenvelhecimento, nas hiperpigmentações, no tratamento de estrias, etc;
  • Os ácidos de frutos como os ácidos cítrico, glicólico, fítico ou mandélico, capazes de uma hidratação profunda e uma desagregação das células da camada superficial da pele e rejuvenescimento da mesma.

Para que serve cada tipo de peeling?

peelingPodemos distinguir três tipos de peeling em função da sua profundidade ou agressividade. No geral, consistem na aplicação dos ácidos sobre a pele durante um período de tempo compatível com a intensidade do tratamento que se deseja obter, sendo igualmente normal a necessidade da preparação da pele nas semanas que antecedem o acto médico: O primeiro dos tipos é o peeling superficial, em que a destruição de células da pele não atinge a membrada basal que protege a derme. Tem como resultado uma pele mais hidratada, suave e brilhante, mas o seu efeito em cicatrizes ou pigmentações anómalas é reduzido. Já o peeling médio atinge a zona superficial da derme, pelo que os seus efeitos visíveis são mais profundos. A pele começa por mostrar uma tonalidade acastanhada, descamando de seguida para dar origem à nova pele. Durante este período a pele fica sensível e devem ser seguidos todos os protocolos recomendados pelo médico, inclusivamente utilizando uma protecção solar de factor elevado. Este é um peeling eficaz, nomeadamente, no tratamento de cicatrizes de acne, rídulas ou estrias. Finalmente o peeling profundo é o único que requer execução com sedação e recorre ao fenol, atingindo a derme até à sua porção mais profunda, a derme reticular. Apesar de ser um processo muito eficaz no tratamento de rugas em peles extremamente envelhecidas, a sua agressividade leva que nos primeiros dias a pele possua uma aparência extremamente desagradável e exija uma atenção redobrada.

Como recorrer ao peeling?

Actualmente existem kits e diversos produtos de peeling disponíveis comercialmente para utilizadores privados, mas não possuem nem a polivalência, nem a segurança dos procedimentos aplicados por profissionais. Só um dermatologista competente poderá utilizar os procedimentos e os métodos adequados a maximizar as chances de sucesso do peeling.

Por isso, se deseja saber mais sobre peeling ou saber qual é o procedimento adequado à sua condição, contacte os especialistas da Clínica Derme através do 213 714 116 ou do e-mail geral@derme.pt.

Para nós, cada caso é um caso, e cada caso necessita de um tratamento específico e adequado.

Peeling: da Fama à Eficácia

É regular ser confrontado com o termo «peeling» no dia a dia, quer em conversas de amigos, quer na leitura de artigos relacionados com alternativas terapêuticas dirigidas à melhoria do aspecto da pele, em particular no rejuvenescimento cutâneo, no tratamento de cicatrizes de acne e na resolução de pigmentações faciais pós-inflamatórias, melasma (vulgo «pano»), lêntigos solares, etc.

peelingO termo «peeling» foi adoptado da língua inglesa, cuja tradução directa apenas faz referência à descamação da pele após a realização de um tratamento local específico.

Neste sentido é preferido o uso do termo «dermabrasão química», que o distingue da dermabrasão física convencional ou da laserabrasão, todos dirigidos à renovação e reorganização das células cutâneas e à estimulação da produção de inúmeras fibras e moléculas (fibras elásticas, colagénio, proteínas da derme, etc.) que conferem uma melhoria global à textura e pigmentação da pele.

Para saber mais sobre peeling, aconselhe-se com os nossos especialistas. Ligue já para +351 213 714 116 ou contacte-nos via Net, através do endereço de e-mail geral@derme.pt.

Muitos são os possíveis agentes a utilizar na realização de um «peeling» facial, dependendo do tipo de objectivo desejado e da experiência de quem o executa sendo que, em termos práticos, os peeling’s mais usados são aqueles que fazem uso de um número relativamente restrito de produtos.

Conforme estejamos em face de um envelhecimento cutâneo ligeiro, moderado ou acentuado, de cicatrizes de acne mais ou menos pronunciadas ou de manchas cutâneas com pigmentação mais ou menos profunda, assim escolheremos o tipo de «peeling» mais apropriado, ou seja, mais ou menos profundo.

Estes recorrem a diversas concentrações dos princípios activos, a diferentes tempos de aplicação assim como a vários tipos de associações entre eles.

A esmagadora maioria dos «peeling’s» são procedimentos de realização em ambulatório e com fraca afectação da vida pessoal e social, não devendo ser confundidos com os casos particulares de algumas figuras públicas que a eles se submetem e referidos como terapêuticas agressivas podendo justificar, inclusivamente, o internamento hospitalar.

3 Tipos de Peeling

PeelingDe uma forma global os peeling’s podem ser divididos em 3 tipos: os superficiais, os médios e os profundos, com tempos de recuperação da pele crescente respectivamente.

Em ambulatório apenas se realizam os 2 primeiros tipos e constituem a quase totalidade destes procedimentos.

As moléculas mais usadas são os denominados ácidos α-hidroxi (ác. glicólico, láctico, mandélico, …), os ácidos β-hidroxi (ác. salicílico), o ácido tricloroacético (TCA 20 a 50%), os retinóides tópicos (tretinoína), o fenol e associações destes anteriores.

Em geral, dado que as soluções utilizadas fazem recurso a alguns tipos de ácidos, existe uma sensação de ardor aquando da sua aplicação que cede progressivamente sobretudo quando é realizada a neutralização (tamponamento) com soluções específicas ou com água.

Consoante o tipo de profundidade desejado pode ser aparente um esbranquiçar da pele tratada («freezing») que traduz a coagulação mais ou menos intensa das proteínas cutâneas.

Se houver que recorrer a um «peeling» médio, pode existir alguma exsudação cutânea durante 1-2 dias que é facilmente controlada pela aplicação de ácido acético muito diluído.

Algumas crostas superficiais podem formar-se que, geralmente, se destacam no espaço de alguns dias, mantendo a pele tratada um aspecto rosado durante escassas semanas e facilmente camuflável com aplicação de uma base.

Resultados

Os resultados obtidos dependem da situação clínica a tratar, mas são tradicionalmente muito gratificantes, tendo em conta a pouca agressividade dos tratamentos.

Nalgumas situações, será necessária a realização de mais do que uma sessão para obtenção do resultado desejado e uma manutenção em períodos semestrais ou anuais pode ser aconselhada dependendo, uma vez mais, da situação clínica e do tipo de «peeling» utilizado.

O reconhecimento da eficácia e facilidade de execução destes peeling’s faciais levou as grandes casas de cosmética a lançar no mercado, estes últimos anos, um número elevado de kit’s para realização de peeling’s caseiros regulares e de manutenção com concentrações mais baixas dos princípios activos.

Em mãos experientes as complicações destes tratamentos são muito raras e tendem a ser mínimas e facilmente corrigíveis. As infecções locais são raras mas perante uma história de episódios de herpes de localização facial deve ser sempre feita a prevenção com um anti-viral durante cerca de 1 semana.

A formação de pequenos grãos de milia (retenção) pode ocorrer e é de fácil resolução. A acentuação da pigmentação ou despigmentação parcial dos locais tratados pode também ocorrer sobretudo em pessoas mais morenas assim como o desenvolvimento de cicatrizes localmente.

Sendo uma mais valia importante em dermocosmética na melhoria da qualidade de vida geral, o peeling (associado ou não a outras técnicas como o laser fraccionado) é uma técnica que, pela sua complexidade, a nível da formulação e da técnica de aplicação, de cuidados subsequentes e de eventual prevenção e resolução de problemas associados deve sempre ser realizada por mãos experientes, sendo neste caso um método rápido, pouco agressivo, financeiramente acessível e gratificante para a resolução cosmética de uma panóplia de situações.

Dúvidas acerca do peeling? Contacte-nos já e esclareça-as na hora ou marque uma consulta através do número +351 213 714 116 ou do endereço de correio electrónico geral@derme.pt.

SAIBA MAIS SOBRE PEELING