Arquivo da Categoria: Rosácea Couperose

Para saber mais sobre rosácea inflamatória, contacte-nos já e marque uma consulta, através do número 213 714 116 ou do endereço de correio electrónico geral@derme.pt

Rosácea e pele vermelha: como tratar esta inflamação no rosto?

O que é e como se manifesta a rosácea?

rosacea couperoseAs pessoas com pele fina, muito branca ou pálida estão mais expostas a factores externos susceptíveis de trazer vários problemas e doenças, como a rosácea. Esta doença de pele, também conhecida por couperose (numa vertente apenas vascular e inicial), manifesta-se através de vermelhidão e pequenos derrames nas bochechas, nariz, testa e queixo. Trata-se de uma inflamação na pele que pode atingir várias fases. Pontualmente, a pele começa por ficar rosada, e depois progressivamente mais avermelhada com vasos sanguíneos dilatados. Nesta fase, podem surgir ardor e comichão e ainda pequenas borbulhas nas maçãs do rosto. O desconforto pode ainda traduzir-se em picadas, sensação de pele repuxada e secura. Dependendo de cada indivíduo, as manchas na pele alastram para a zona nasal e malar. Em casos mais, graves, pode chegar ao queixo, pescoço e peito. Para que a doença melhore e não alastre, deverá aconselhar-se com um especialista em Dermatologia o quanto antes! Não espere mais, pois o problema pode agravar-se. Não espere mais, informe-se e trate-se precocemente com os especialistas na área da dermatologia!

Por que razão tenho rosácea?

tratamento da RosaceaPode ser uma questão genética, pois as peles secas, finas e mais claras (associadas tradicionalmente a olhos claros) são mais frágeis e apresentam menor capacidade de defesa e, por isso, mais reactivas aos factores externos, tais como: – Ambientais (sol, calor, frio, diferenças de temperatura, etc.) – Alimentares (bebidas muito quentes ou muito frias, consumo excessivo de álcool, comida picante, café, tabaco, etc); – Determinados produtos cosméticos ou as alterações emocionais; – Medicamentos vaso-dilatadores. Por seu turno, a doença pode ainda estar associada a anomalias vasculares que muitas vezes resultam num aumento dos vasos sanguíneos, tornando-se estes visíveis e aumentando assim a vermelhidão da pele. É importante realçar que a rosácea/couperose não é contagiosa, afecta homens e mulheres adultos e torna-se uma patologia crónica ao fim de alguns anos.

Qual o tratamento mais adequado para a Rosácea?

A nossa pele está permanentemente exposta a factores de risco e agressivos do exterior, por isso, todos devemos ter cuidado na limpeza e tratamento da pele, de forma continuada e diária. Contudo, as pessoas que sofrem desta inflamação da pele, deverão ter cuidados redobrados na sua higiene diária, na utilização de produtos dermocosméticos adequados à rosácea, mas também no reforço das vitaminas B, C e E. Por outro lado, é fundamental que viva mediante uma alimentação equilibrada, adequada e proporcional, evitando os excessos alimentares e eliminando determinados alimentos da sua dieta alimentar. Ainda assim, é fundamental ser seguido por um especialista, pois poderá ser necessário a utilização de técnicas inovadoras e eficazes no sentido de melhorar consideravelmente a sua vida. Existem hoje soluções, nomeadamente lasers, específicas para o tratamento deste rubor facial. Por tudo isto, torna-se fundamental recorrer a um tratamento adequado e eficaz para a Rosácea!

Para encontrar a terapia mais adequada à rosácea contacte o Dr. Miguel Trincheiras, através do número 213 714 116, o TM 96 97 88888 ou, se preferir, esclareça todas as suas dúvidas pelo e-mail: geral@derme.pt disponível 24 horas por dia. Se se sentir mais confortável, visite-nos no nosso consultório, em Lisboa, e usufrua de um atendimento especializado e personalizado!

Nota: Este artigo foi originalmente publicado a 29 de Janeiro de 2014. O seu conteúdo foi actualizado.

A rosácea tem tratamento laser eficaz na Clínica Derme

A rosácea – ou couperose – é o termo geral que designa uma vermelhidão que surge predominantemente na testa, maçãs do rosto, nariz e queixo.

Embora as razões para o seu surgimento ainda sejam desconhecidas, a rosácea deve-se à dilatação persistente dos vasos capilares à superfície da pele, conferindo-lhe o aspecto avermelhado. Em casos severos de inflamação, a rosácea pode apresentar borbulhas e abcessos e também pode tomar a forma de rosácea ocular, cujo tratamento deve ser feito rapidamente de forma a evitar danos na visão.

Rosácea: sintomas progressivos.

O sintoma mais conhecido da rosácea é a coloração avermelhada das zonas afectadas. No entanto, à medida que a condição evolui para a telangiectasia (dilatação dos vasos capilares), podem surgir pápulas, vermelhidão ocular e uma sensação de ardor na pele afectada. A rinofima, vermelhidão e deformidade do nariz, surge em casos mais avançados, particularmente nos homens.

Causas da rosacea

rosacea couperoseActualmente sabe-se muito pouco das causas que levam à inflamação dos tecidos e dilatação dos vaso sanguíneos, mas uma vez presente a rosácea, esta pode ser agravada por factores como o stress, ingestão de álcool, cafeína, comida condimentada ou exercício intenso. No caso das mulheres, esta condição cutânea também pode surgir na sequência da menopausa. Os factores que mais vezes surgem relacionados com a rosácea, são no entanto a exposição solar excessiva e o calor intenso. É por isso que os indivíduos com pele e olhos mais claros e tendência a corar acabam por ser os mais afectados, particularmente durante o período de calor. Frequentemente, o tratamento passa pela evicção dos factores responsáveis pela inflamação, mas nos casos demasiado severos ou onde um tratamento comportamental não se revele suficiente, existem actualmente outros tratamentos, dos quais se destaca o laser.

Rosacea: tratamento laser

Para tratamento da rosácea, o laser pulsado de contraste (PDL) é certamente das opções mais eficazes, utilizado com o objectivo de fotocoagular os vasos sanguíneos afectados. Posteriormente será necessário tomar alguns cuidados como o evitar a exposição solar. Trata-se de um tratamento que não é doloroso, mas não é igualmente desprovido de desconforto, já que o laser pode despertar uma sensação de ligeiro ardor local. No entanto, perante a existência de um quadro inflamatório, a terapia PDL tem que ser antecedida da administração de antibióticos ou derivados da vitamina A (retinóides).

A alternativa da isotretinoína

A aplicação da isotretonoína, uma medicação frequentemente utilizada para o tratamento da acne, é outra terapêutica muito eficaz no tratamento da rosácea e com efeitos secundários raros e pouco graves. Este é um dos métodos mais eficazes e permanentes de resolução dos quadros inflamatórios que acompanham a rosácea. Finalmente, é possível recorrer a eléctrodos para a coagulação pelo calor dos vasos capilares, uma terapia que recebe o nome de electrocoagulação, mas que caiu em desuso desde o advento de terapêuticas mais evoluídas como o laser, também pelo risco inerente de poder deixar cicatrizes residuais.

Consulte um dermatologista rapidamente.

Tratar a rosácea não é apenas uma questão estética, já que esta é uma condição cutânea capaz de afectar muito negativamente a auto-estima de quem dela padece, mas pode igualmente progredir para outras complicações. Por isso, e apesar do seu tratamento ser fácil e extremamente eficaz, é importante contactar um dermatologista nas primeiras etapas da doença, de modo a maximizar o sucesso do tratamento e a minimizar a sua extensão. Se tem uma pele sensível e é afectado pela rosácea na sequência da exposição solar ou episódios de stress, contacte a Clínica Derme. Marque uma consulta para falar com os nossos especialistas, e descubra o que podemos fazer por si de modo rápido, cómodo e inquestionavelmente eficaz.

Encontrar-nos-á ao seu dispor através do e-mail geral@derme.pt ou do 213 714 116.

Nota: Este artigo foi originalmente publicado a 24 de Fevereiro de 2014. O seu conteúdo foi actualizado.

Vermelhidão da pele: qual a melhor forma de tratar a rosácea?

Pele vermelha , diz-lhe alguma coisa? Nem sempre quando tem a pele vermelha é por causa do sol. Muitas vezes, é um problema de pele. Mas não tem de se preocupar, a rosácea tem tratamento. A rosácea é um problema de pele bastante comum na população portuguesa. Manifesta-se através da vermelhidão do rosto, principalmente nas bochechas, nariz, queixo e testa. Essa vermelhidão aparece e desaparece facilmente, principalmente em situações de stress e nervosismo (flush facial). Quer saber mais sobre a rosácea?

O que é a rosácea e como se manifesta?

rosácea couperoseA rosácea é uma doença de pele muito comum na população portuguesa. Muitas vezes, e por terem sintomas semelhantes, a rosácea é confundida com a acne. Mas estas duas doenças de pele têm manifestações diferentes: a acne manifesta-se, na grande maioria dos casos, nos adolescentes. Já a rosácea é uma doença de pele comum a partir dos 30 anos. Nos casos de acne, é comum o aparecimento de cravos na pele, e isso não acontece em pacientes com rosácea. Há casos em que a rosácea afeta o pescoço e o colo, sendo denominada poiquilodermia de Civatte. Os pacientes masculinos são aqueles que mais sofrem com os efeitos secundários da rosácea. Em casos mais graves, o edema desta doença de pele pode fazer com que o nariz fique deformado, isto porque a rosácea provoca um aumento do tamanho das glândulas que produzem oleosidade. A rosácea é uma doença de pele que não se manifesta apenas na pele do rosto. Numa grande percentagem dos pacientes, a rosácea afeta também os olhos e as pálpebras. Assim sendo, e sendo a zona ocular uma parte do corpo humano muito sensível, provoca outros problemas de saúde como conjuntivite, inflamação da córnea, da íris ou até das pálpebras. As causas da rosácea ainda são desconhecidas, mas pressupõe-se que seja uma predisposição genética que provoque a rosácea nos pacientes. Sabe-se também que a rosácea se associa a uma proliferação anormal de alguns parasitas da flora cutânea, nomeadamente ácaros (Demodex foliculorum) ao nível das glândulas sebáceas. A maior verdade é que, tal como acontece com a maioria das doenças de pele, a rosácea não melhora se não for feito tratamento, diário e constante, para que a pele não adquira um tom tão avermelhado, muitas vezes muito incómodo para os pacientes.

Quais os factores que afectam os pacientes com rosácea?

Apesar de não se saber quais as causas da rosácea, é sabido que há factores que interferem com esta doença de pele, agravando os seus sintomas. Bebidas muito quentes e bebidas alcoólicas, pela sua qualidade de vaso-dilatadores, também são prejudiciais para os doentes com rosácea. A exposição ao sol, ao vento e ao frio são factores externos ao corpo do paciente que podem contribuir para aumentar a vermelhidão da pele, assim como aumentar a comichão que poderá sentir na região da pele afectada. Stress e alterações emocionais são também prejudiciais àqueles que possuem esta doença de pele.

Doenças de pele: a rosácea tem tratamento?

rosáceaO tratamento para a rosácea, assim como a maior parte dos tratamentos de problemas dérmicos de manifestação tópica, pretendem controlar e reverter as manifestações da doença. Dependendo da fase de evolução desta doença de pele, deverá o seu tratamento ser abordado por aplicação de cremes tópicos, poder justificar terapêutica com comprimidos ou mesmo necessitar do uso do laser pulsado de contraste para remover a tonalidade vermelha da face. Uma forma de tratar a rosácea é através da hidratação e cuidado diário das regiões da pele afectadas por esta doença de pele. Assim, deve aplicar no rosto produtos suaves e destinados a peles sensíveis. Os resultados não são imediatos. Aos poucos, notará diferenças no aspecto da pele afectada pela vermelhidão que se deve a esta doença de pele. Mas terá de esperar um ou dois meses para conseguir apurar resultados mais efectivos no tratamento da rosácea.

Procura um especialista em tratar a rosácea? Contacte-nos através do 213 714 116 ou do geral@derme.pt

Nota: Este artigo foi originalmente publicado a 28 de Janeiro de 2014. O seu conteúdo foi actualizado.

Rosácea na pele? Anime-se, a clínica Derme tem a solução!

A rosácea é um problema de pele que afecta muitas pessoas, e não é algo exclusivo das mulheres, ao contrário do que se pensa. Mas a verdade é que muitos daqueles que padecem desta patologia não sabem sequer que a têm, pois é muito comum confundir rosácea com faces coradas, deixando assim muita gente alheia ao seu próprio problema.

A intensidade e tipo de manifestação desta doença varia de caso para caso, podendo ir de manchas subtis avermelhadas em apenas algumas zonas da cara até a ocupação de quase toda a área facial. Na Derme estamos eficazmente preparados para tratar problemas de pele como a rosácea, seja o caso simples ou mais complexo.

A nossa clínica tem os melhores procedimentos, os tratamentos mais inovadores e os profissionais mais capazes. Com a nossa ajuda, eliminar a couperose (outro nome dado à rosácea de componente exclusivamente vascular) e recuperar a saúde da sua pele é fácil e eficaz!

O que é a rosácea?

rosácea couperoseA rosácea é uma doença vascular crónica, caracterizada por eritema, derrames, edema e pápulas, que podem ser acompanhados por pústulas e nódulos. Afecta principalmente adultos nas faixas etárias compreendidas entre os trinta e os cinquenta anos de idade.

É mais frequente em mulheres e, em geral, manifesta-se de forma mais moderada neste grupo. Manifestações da patologia mais localizadas e graves são mais comuns em homens.

Entre os principais sintomas da rosácea estão o aparecimento de pequenos derrames (telangiectasias) e de uma tonalidade avermelhada na face, que podem ser pouco ou muito visíveis, e um aspecto seborreico da pele.

Quais os factores que agravam a rosácea?

Embora a couperose ou rosácea, ou ainda rosácea couperose seja uma doença sobre a qual não se tem um conhecimento muito aprofundado, pelo menos em relação ao que provoca realmente o seu aparecimento, sabe-se, no entanto, que o estilo de vida e o tipo de hábitos praticados diariamente podem influenciar negativa ou positivamente os sintomas do problema.

Por isso, factores como exposição excessiva à luz solar, calor, frio, vento, consumo de álcool, tabaco e alimentos quentes ou condimentados podem transformar episódios esporádicos da manifestação da doença em algo de agudo ou permanente.

Como e onde tratar a rosácea?

Na Derme, estamos sempre atento às inovações técnicas do mundo da medicina e da estética e temos ao dispor de quem nos procura os melhores tratamentos, realizados pelos profissionais mais experientes.

O tratamento da rosácea implica, caso seja o caso, passar por uma primeira fase que consiste em tratar os sinais inflamatórios da doença com terapêutica médica (antibióticos tópicos e sistémicos, niacinamida, ácido azelaico, retinóides, cremes descongestionantes,…) e, então depois, abordar a parte vascular com terapêutica laser. 

Uma vez que dispomos do laser mais específico para o tratamento e fotocoagulação dos vasos sanguíneos superficiais que dão o tom vermelho à pele (PDL – laser pulsado de contraste V-BEAM da Candela) nem vale a pena referir outras técnicas como a luz intensa pulsada e menos ainda da electrocoagulação de vasos.

Neste caso, é necessário evitar a exposição solar antes e após o tratamento.

Se ainda está com dúvidas sobre a rosácea couperose e ainda não está seguro sobre a eficácia dos nossos tratamentos, contacte-nos através do número 213 714 116 ou do endereço de e-mail geral@derme.pt e deixe-nos esclarecer todas as suas dúvidas e, em seguida, marcar a sua primeira consulta!

O que é a Rosácea Inflamatória?

Rosácea - DermeEmbora as causas não estejam totalmente esclarecidas e desvendadas, a rosácea afecta pessoas com pele sensível e manifesta-se, sobretudo, nas maçãs do rosto, no nariz e no queixo.

Os vasos capilares tendem a dilatar de uma forma persistente, à superfície, conferindo um aspecto avermelhado à pele, localmente.

A rosácea pode evoluir em várias fases. Nalguns casos, além do vermelhão em torno das maçãs do rosto e do queixo, pode causar também «borbulhas».

As fases da evolução da rosácea são essencialmente três, sendo a primeira a fase vascular, onde é notório um eritema (vermelhidão) e a segunda a fase inflamatória (rosácea inflamatória), em que surgem pápulas inflamatórias sobre estas zonas de eritrema (borbulhas inflamadas, algumas com pus).

Há ainda uma terceira fase, menos frequente, que é a fase granulomatosa, em que a pele tende a ficar muito infiltrada.

Tratamentos da Rosácea Inflamatória

Rosácea - DermeNo caso de estarem presentes os dois componentes (vascular e inflamatório) é premente, numa primeira fase, resolver os sinais inflamatórios com recurso a alguns tipos de antibióticos (tópicos e ou sistémicos) ou mesmo a derivados da vit.

A ácida (retinoides). Casos muito inflamatórios podem mesmo justificar o uso inicial de corticoterapia sistémica para a resolução mais rápida e eficaz dos sinais inflamatórios.

Uma vez «arrefecido» este quadro, o próximo passo é tratar das lesões eritematosas, fazendo a fotocoagulação dos vasos superficiais, através de luz intensa pulsada (IPL) ou de laser pulsado de contraste (PDL).

Para saber mais sobre rosácea inflamatória, contacte-nos já e marque uma consulta, através do número 213 714 116 ou do endereço de correio electrónico geral@derme.pt

Rosácea e Isotretinoína

RosáceaUm dos tratamentos aplicáveis a quadros de rosácea, nomeadamente em fase inflamatória, é a toma de isotretinoína em baixa dose, medicação sobejamente reconhecida na terapêutica da acne, acompanhada de cuidados locais específicos, para garantir uma melhoria mais rápida e sustentada.

Se, por um lado, a «bula» da isotretinoína menciona uma ampla panóplia de eventuais efeitos secundários, como qualquer outra medicação, não será menos verdade que estes efeitos são relativamente pouco frequentes, com excepção da secura cutânea que tende a desencadear e que é facilmente compensada com cremes hidratantes e «sticks» labiais.

No entanto, a isotretinoína não implica, obrigatoriamente, a ausência de exposição à luz solar.

Trata-se de uma medicação que, ao reduzir a espessura da epiderme, permite a maior penetração da radiação solar e podendo conduzir a golpes de sol e queimaduras solares com mais facilidade, pelo que deverá ser feita uma protecção solar eficaz.

RosáceaOutra das situações a ser acautelada é a gravidez, pois a isotretinoína tem um efeito teratogénico – induzir malformações no feto -, mas que deixa de constituir qualquer risco após um a dois meses de suspensão do fármaco.

Neste sentido, a isotretinoína poderá ser utilizada no tratamento da rosácea sem qualquer receio e marcada eficácia, sendo que, qualquer questão ou dúvida que surja deverá ser esclarecida com um médico dermatologista.

Para saber mais sobre rosácea e isotretinoína, contacte-nos já e marque uma consulta, através do número 213 714 116 ou do endereço de correio electrónico geral@derme.pt.

Couperose: o que é?

A couperose é uma doença muito comum e pode facilmente ser confundida com um simples rubor transitório da face.

Também conhecida por rosácea vascular, a couperose afecta pessoas com pele sensível e manifesta-se, sobretudo, nas maçãs do rosto, no nariz e no queixo.

CouperoseNos doentes que sofrem de couperose, a pele fica vermelha porque os vasos capilares dilatam nas camadas superficiais da pele, ficando visíveis à transparência e dando um aspecto avermelhado à mesma.

Ao contrário do que se possa pensar e apesar de mais frequente, a couperose não é uma doença exclusiva das mulheres.

Embora não seja «perigosa», a couperose pode ser fonte de grande incómodo, quer sintomático (sensação de ardor, comichão, formigueiro), quer social (vergonha das pessoas pelo olhar da outras).

A couperose pode evoluir ou não para outro tipo de lesões, nomeadamente para o desenvolvimento de pápulas e pústulas ou, menos frequentemente, para quadros de infiltração «granulomatosa» da face e, sobretudo, do nariz.

O tratamento desta rubiose facial é feito através de laser pulsado de contraste (PDL) ou através de luz intensa pulsada (IPL).

São tratamentos, em geral, muito bem tolerados, embora não totalmente indolores, despertando uma sensação de ligeira e breve queimadura local, aquando de cada disparo, minimizadas pelo disparo de um jacto de criogénio (frio) prévio.

CouperoseO PDL realiza-se, normalmente, numa única sessão (pode, ocasionalmente, ser necessário um «retoque» posterior), podendo deixar algumas marcas purpúricas na face, que reabsorvem, num período de cerca de 7 a 10 dias, conforme a potência e sobretudo a duração de pulso que usarmos no tratamento.

O IPL, pelo contrário, necessita da realização de várias sessões – normalmente 3 a 4 -, com 30 dias de intervalo, em média, e apenas deixa uma ruborização transitória da face durante algumas horas, interferindo minimamente com a vida laboral e social dos pacientes.

Para saber mais sobre couperose, contacte-nos já e marque uma consulta, através do número 213 714 116 ou do endereço de correio electrónico geral@derme.pt

Couperose: Tratamento Laser

A couperose pode afectar a vida dos pacientes, nomeadamente aqueles que trabalham com o público ou para quem a imagem é importante na sua actividade relacional com o público.

Laser vascular - CouperoseO que é a Couperose?

A couperose traduz-se essencialmente pela aparência avermelhada das maçãs do rosto, podendo ser acompanhada pela presença de pequenos vasos sanguíneos dilatados. Existem, no entanto, tratamentos para eliminar a couperose.

A rosácea de componente predominantemente vascular (couperose) tende a agravar com o passar do tempo e pode evoluir para uma fase inflamatória.

Tratamento da Couperose?

Laser vascular - CouperoseExistem, de facto, duas alternativas de tratamento da couperose: ou se disfarça a vermelhidão com cremes (camuflagem) ou se tratam os vasos por fotocoagulação selectiva, através de laser pulsado de contraste (PDL).

Os valores do tratamento com laser são variáveis, consoante a extensão da área a tratar e podem variar entre os €250 e os €500 por sessão. Numa grande parte dos casos, no entanto, estes tratamentos poderão ser abrangidos pela comparticipação dos seguros de saúde.

Saiba mais sobre Couperose

Para saber mais sobre tratamento a laser da couperose, contacte-nos já e marque uma consulta, através do número 213 714 116 ou do endereço de correio electrónico geral@derme.pt